• Siga-nos
Domingo, 16 de Maio de 2021

Notícias - Detalhes

Voltar para Noticias

CÂMARA DE SANTOS
Constantino cobra construção de escola no SESI

  • 22/05/2019
Compartilhar Facebook WhatsApp   
Constantino cobra construção de escola no SESI

CÂMARA DE SANTOS
Constantino cobra construção de escola no SESI

Resumo

O Vereador manoel Constantino solicitou à direção do SESI um posicionamento, sobre a construção de uma escola no terreno doado à instituição pela Prefeitura, já que a escola deveria ter sido construída até 2016, conforme a Lei 2842/2012 que determina o prazo de 4 anos para a conclusão da obra.

Descrição

A direção do SESI Santos confirmou nesta segunda-feira, dia 20, ao vereador Manoel Constantino (PSDB), que não tem previsão para a construção de mais uma escola no terreno de quase 40 mil metros quadrados que foi doado pela Prefeitura em 2012 para esta finalidade. Constantino solicitou à direção um posicionamento, já que a escola deveria ter sido construída até 2016, conforme a Lei 2842/2012 que determina o prazo de 4 anos para a conclusão da obra. Apresentando como justificativa “o momento político atual” e preocupação com os cortes de verba para a educação anunciados pelo atual governo, o Diretor de Centro de Atividades do SESI Santos, Mário Sérgio Alves Quaranta, e o Gerente Executivo de Educação, Roberto Xavier Augusto Filho, explicaram que existe sim um projeto pronto para erguer a escola no terreno, mas que a instituição não possui disponibilidade financeira. “Todos os recursos disponíveis estão sendo destinados à melhorias dos prédios já existentes”, disse Mário, enumerando algumas benfeitorias. A doação do terreno ao SESI se deu através de um Projeto de Lei de autoria do então prefeito João Paulo Tavares Papa e só foi aprovado graças ao empenho do vereador. Sancionada em julho de 2012, a Lei determina em seu artigo segundo a construção de um complexo composto por um centro educacional e um centro de lazer e esporte para atender alunos do ensino fundamental e ensino médio. O terreno é localizado atrás do complexo SESI existente na avenida Nossa Senhora de Fátima. O prazo determinado pela Lei venceu em julho de 2016 e o não cumprimento implicaria na devolução do patrimônio à Prefeitura. Constantino vai procurar o Prefeito Paulo Alexandre Barbosa para saber o posicionamento da administração municipal sobre o assunto. “A nossa luta sempre foi para a construção da escola para atender a nossa comunidade, mas se isso não acontecer não é justo que o SESI continue com esta área tão valiosa para e sem nenhuma produtividade”. Se tivesse sido construído dentro do prazo, o complexo atenderia pelo menos 3.500 alunos com atividades direcionada ao ensino, inclusive em período integral, programas de educação de jovem e adultos, atividades de qualificação, cultura, esporte e lazer. O SESI tem uma das maiores redes de ensino particular, composta por 154 escolas, presente em 11 municípios.

0 Comentários:

Envie o seu comentário sobre a notícia

Campos obrigatórios *